Ser mãe e avó: o que aprendi

Fevereiro 15, 2022 Zita Rocha No comments exist

Ser mãe e avó: o que aprendi

02 Fevereiro 2022

WhatsApp Image 2020-08-13 at 14.43.11

Escrito por Zita Rocha

Ser mãe e avó jovem permitiu-me refletir sobre estes papéis de uma forma diferente. Quero partilhar consigo aquilo que aprendi.

Fui a primeira a ser mãe entre as minhas amigas. Ainda que tenha sido desafiante não poder contar com a experiência delas, admito que fiquei orgulhosa por poder ser essa figura de apoio, mais tarde, quando eram elas as recém-mamãs. Sempre fui destemida, o que me deixou muitas vezes na linha da frente de muitos novos desafios. Para que possam evitar alguns dos meus erros e aprender com os meus sucessos, deixo aqui algumas sugestões.

O QUE APRENDI COMO MÃE

É importante permitir aos nossos filhos que sejam eles próprios. Não queremos criar uma cópia de nós mesmos, mas sim um indivíduo capaz e confiante. Muitas vezes, magoamos aqueles que mais amamos por não estarmos dispostos a dar-lhes o espaço que precisam para que se tornem na sua melhor versão. Além disso, é importante reconhecer que os tempos mudam e que aquilo que achávamos estar certo, afinal, pode já não estar!

Incentivem-nos a lutar pelo que acreditam. O maior desejo de qualquer mãe é que os filhos se tornem melhores pessoas do que algum dia nós fomos e que se esforcem para ter um impacto positivo no mundo. A nível pessoal, que tenham sempre a força para não traírem aquilo que são. Que sejam, acima de tudo, autênticos e corajosos. A melhor forma de ensinar isto é servir de modelo, pelo que é essencial que façamos o mesmo.

Não se esqueçam de criar um ambiente seguro para que eles vejam a família como um lar. Não imaginaria a minha vida sem esta família que tem vindo a crescer cada vez mais e quero que eles sintam o mesmo. É fundamental, para mim, preservar este valor, mas não basta dizê-lo — é preciso mostrar-lhes o que isso significa através de ações de amor e compreensão incondicionais.

O QUE APRENDI COMO AVÓ

Ser avó é muito mais divertido, não concorda? Já fizemos o nosso trabalho com os filhos e é agora hora de recolher os frutos. A minha primeira sugestão é que mantenham a vossa energia em alta para habituar os netos a praticar desporto desde cedo. É mais difícil começar depois, sendo a melhor prenda que podemos oferecer à saúde deles. E, afinal de contas, nem dá muito trabalho convencê-los a passar o dia a correr.

Outro aspeto importante da saúde é a alimentação. De pequenino se torce o pepino e se o come também! Há por aí um grande preconceito contra as avós: que são elas as facilitadoras dos doces e do açúcar processado, deixando os netos quebrar todas as regras… Mas é importante que não se faça isso, pois a nutrição é uma parte fundamental da saúde e queremos evitar a todo o custo que eles desenvolvam uma relação pouco saudável com a comida.

Por fim, anos e experiência trazem sabedoria. Pensamos saber tudo na adolescência e daí para a frente é uma difícil viagem de descoberta de como, afinal, não sabíamos nada. O ótimo de ser avó é que os netos só não querem ouvir os pais. Então posso aproveitar para lhes passar as maiores lições que aprendi.

TAGS

#slowliving #familia #mãe #avó #conselhos #aprendizagem #crescimento #amor #união #educação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.